Chá de bebê reúne gestantes em situação de rua na Mooca

Chá de bebê reúne gestantes em situação de rua na Mooca

Ação é voltada para mulheres a partir do 5º mês de gestação que aderiram ao programa Consultório de Rua.

Gestantes em situação de rua, álcool e drogas atendidas pelo programa Consultório na Rua (CnR), da Prefeitura de São Paulo em parceria com Centro Social Nossa Senhora do Bom Parto, participaram, nesta terça (1º) de mais um encontro do Projeto “Menina ou Menino? Chá dos Bebês”.

A ação acontece mensalmente nas unidades de saúde e, no Parque da Mooca, em média a cada três meses e reúne todas as gestantes atendidas pelas oito equipes do Cnr e tem como objetivo fortalecer os vínculos entre mãe e bebê durante o pré-natal.

Com a participação de equipe multidisciplinar de saúde, a iniciativa aproveita o ambiente lúdico e de celebração para orientar as participantes sobre cuidados com higiene, alimentação, saúde bucal e a importância dos exames e consultas desta fase da gestação.

Além das orientações de saúde, mulheres a partir do quinto mês de gravidez que frequentam regularmente as consultas ganham ensaio fotográfico e o álbum com o registro. Quando a adesão é constante até o oitavo mês, a gestante também recebe enxoval completo. As fotos e as roupas, assim como a decoração e alimentação servida durante o chá de bebê, são fruto de parcerias e contrapartida institucional e unidades de saúde da Prefeitura.

“Por meio de estratégias como esta, vimos que é possível, sim, contribuir para restaurar e preservar a integridade da gestante e seus filhos em situação de vulnerabilidade e risco social. Atualmente as equipes alcançaram 100% da adesão no acompanhamento”, destaca Marta Marques Akiyana, coordenadora do programa pelo Centro Social Nossa Senhora do Bom Parto (BomPar).

Outro destaque importante é que o novo modelo resultou em maior adesão ao pré-natal e maior integração dos profissionais das unidades e Consultórios na Rua, o que vem favorecendo, além do tratamento, o cuidado da mãe e do bebê na sua integralidade.

Além dos encontros trimestrais, as gestantes são acompanhadas mensalmente em oito unidades do Consultório de Rua. Mais de 30 gestantes já foram atendidas no período de um ano.

Reportagem: Da redação. Foto: Edson Hatakeyama – SMS/Ascom.

Nenhum Comentário