Corujão da Vila Carrão

Corujão da Vila Carrão

Em recente campanha eleitoral, o então candidato João Doria prometeu zerar as filas de exames na cidade de São Paulo.

Pouco tempo depois de sua eleição estava ele e sua equipe lançando o programa em comunicados e discursos políticos.

Meses depois, uma promessa cumprida: todos os exames agendados e atrasados dos paulistanos foram colocados em dia.

Sem dúvidas, um êxito importante. Reconhecimento para gestão do prefeito e para a confiabilidade em sua palavra.

A proposta alcançou a meta, uma vez que a parceria se deu com hospitais particulares, ocupando-os em horários alternativos, com baixo fluxo, em convênio com a prefeitura.

A ideia foi diferente sim, ousada e exequível. E o papel da imprensa também é esse: fiscalizar, cobrar quando achar algo incoerente – algo que fizemos no editorial passado –, porém, é também de elogiar quando uma ação importante é atingida.

Entretanto, se o nome Corujão da Saúde foi dado em alusão ao fato de ocorrer nas madrugadas, é importante então chamar a atenção para outros setores e problemas da cidade, como a questão logística das obras de galerias e infraestrutura na cidade de São Paulo.

Nesta última semana, quinta-feira, choveu intensamente na capital. O dilúvio veio abaixo em algumas horas com uma quantidade de água esperada para um mês.

E mesmo sabendo que não podemos colocar na conta do prefeito anos de investimento pífio neste quesito, além de se tratar de um fenômeno pontual atípico, é preciso sim uma atenção maior da gestão atual e por parte do poder público em áreas vulneráveis.

Para se ter uma ideia, aproximadamente às 23h da quinta-feira, o córrego Aricanduva se transformou num rio, ocupando todas as pistas em uma correnteza intensa e perigosa.

A região da Vila Manchester, o parque esportivo, as praças e ruas também ficaram embaixo d´água.
Lixo, detritos, entulhos e tantos outros objetos foram arrastados pela força das águas.

Já faz décadas que a região da Vila Califórnia, Aricanduva e Vila Manchester sofrem com as chuvas de verão e muitos dos problemas causados aos moradores seriam resolvidos se as ações e obras para contenção – que acontecem há meses na região entre a Rua Astarte e a Rua Dr. Cristiano Althenfelder, por exemplo – fossem aceleradas ou fiscalizadas mais de perto.

Este Corujão da Saúde, nome do programa dado pelo prefeito ao mutirão de exames realizados, também poderia contar com um olhar coruja sobre as obras de infraestrutura emergenciais em São Paulo, em especial, na Vila Carrão, zona leste da cidade de São Paulo.

Antonio Gelfusa Junior é editor responsável do SP Jornal.

Nenhum Comentário