Escola na zona leste integra alimentação saudável no currículo escolar

Escola na zona leste integra alimentação saudável no currículo escolar

Colégio Batalha, na Vila Matilde, estimula alimentação saudável e integra tema a agrade currícular
Além de um cardápio saudável, o Colégio Batalha aborda o tema em sala

Segundo um documento elaborado pela Organização Mundial da Saúde (OMS), estima-se que 7,3% das crianças brasileiras a partir do cinco anos estejam acima do peso ou obesas. As mais afetadas são as meninas, com 7,7%.

Enquanto uma parcela das crianças brasileiras estão obesas, outra passa pela desnutrição. Em novembro, no Distrito Federal, um menino de 8 anos desmaiou por causa de fome em uma escola pública.

Para a Unesco, a deficiência nutricional afeta tanto o presente quanto o futuro do aprendizado infantil. Especialistas apontam que a alimentação saudável deve integrar a proposta pedagógica das escolas.
Dessa forma, além de orientar os hábitos nutricionais dos alunos, as instituições de ensino precisam fomentar o diálogo sobre o tema por meio de valores sociais, culturais e afetivos.

Alimentação saudável no currículo escolar

“A escola pode contribuir para que o seu público desenvolva uma rotina alimentar saudável por meio de palestras com nutricionistas, escolha adequada do cardápio e também com o incentivo oferecido pelos professores sobre este tema.”, explica a nutricionista Aline Costa de Morais Sampaio.

Alinhado à esse pensamento, o Colégio Batalha, na Vila Matilde, desenvolveu um projeto interdisciplinar sobre alimentação saudável. “Os alunos do 5º ano do Fundamental I e alunos do fundamental II prepararam e deram uma aula sobre nutrição, visando as frutas, para os alunos da Educação Infantil e Fundamental I até o 4º ano.”, conta Catarina Russo, coordenadora pedagógica da instituição.

Outra ação desenvolvida pelo colégio foi a elaboração de uma cartilha lúdica pelos professores de Educação Física. Ela abordou a importância da alimentação saudável, das frutas, do consumo regular de água e das atividades físicas.

“Os professores também calcularam o índice de massa corpórea (IMC) dos alunos e verificaram, através da tabela da OMS, se as crianças estavam eutróficas, sobrepeso e baixo peso.”, completa Catarina.

A instituição também aderiu uma política saudável em seu cardápio. A prioridade é o consumo de frutas, suco integral, lanche natural e apenas salgados assados. Além disso, a cantina do colégio não comercializa balas, chicletes, refrigerante, frituras e salgadinho de pacote.

“Um cardápio saudável deve contemplar, por exemplo, arroz, feijão, leite, carne, frango, peixe, ovo, verduras, legumes e frutas variadas. O consumo de doces, preparações fritas, refrigerantes, sorvetes, bolachas recheadas e embutidos (hambúrguer, salsicha, empanado de frango) devem ser consumidos com moderação.”, finaliza Aline.

Reportagem: Barbara Novaes. Foto: Divulgação.

Nenhum Comentário